Quarta-feira, 4 de Março de 2009

O TGV será solução?

 

Muito se tem falado sobre o TGV. Na verdade pouco se tem dito, a bem da verdade, de forma a se poder uma ideia clara do que está em causa. Ser sempre negativista é mau. Há que avaliar as coisas com mais informação e mais sentido crítico.
 
A Linha do Norte está congestionada. Não suporta mais tráfego. Há composições Intercidades que têm que esperar nas estações para deixar passar o Alfa. Há comboios de mercadorias que têm igualmente parar e esperar. E este sector necessita de crescer. O Intercidades também não satisfaz. É muito lento. A saída do ALFA desta linha é absolutamente necessário para uma melhor prestação de serviços. Há uma efectiva necessidade de duas linhas. O novo traçado deverá ser independente podendo comportar uma composição tipo TGV (ou CAV à portuguesa) O que está em causa é se será para composições TGV ou para composições ALFA PENDULAR.
 
Posto o problema desta forma entende-se que o que se tem que decidir é o tipo material circulante.
 
Do meu ponto de vista, dada a situação económica de Portugal, com um deficit de 2 milhões/hora a solução TGV deverá ser adiada até não haver deficit. É um luxo a que não podemos ter direito agora, nem nos tempos mais próximos. O Pendular é sem a dúvida a solução a adoptar. Haverá apenas que eventualmente mudar a bitola para a Europeia de forma as composições europeia possam circular por estas linhas.
Esta solução deveria reequacionada com Espanha para a linha Lisboa-Madrid.
 
Há que ter em conta também as condicionantes dos custos de manutenção e do limitado número de fornecedores para o TGV. Com o ALFA tudo é bem diferente. Há mais incorporação nacional e uma oferta mais alargada de empresas. E, bens vistas as coisas, o ganho de tempo não justifica o preço.
 
Sejamos claros o TGV é para viagens Continentais, na ordem dos 450 a 600km. Justificáveis no Lisboa-Madrid. Só que a ocasião não é propícia para esse luxo. A Linha deverá ser de bitola Europeia (largura entre carris) e deverá permitir também o tráfego ferroviário Sines-Madrid tal como acontece com Madrid-Valencia (passageiros e mercadorias). É importante situar-nos no contexto ibérico e europeu quando avaliamos as grandes decisões estratégicas.
 
Em suma, no contexto actual a linha Lisboa-Porto deverá ter uma linha nova com composições ALFA-PENDULAR. A Linha Lisboa-Madrid deveria ser TGV mas a prazo, dada a situação actual. Será desejável renegociar com Espanha, mas sempre com bitola europeia.
RF
sinto-me:
tags:
publicado por ruyferreira às 17:19
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Como está o país que Sócr...

. Voto nulo ou em branco

. O TGV será solução?

. O deficit de Justiça

.arquivos

. Março 2009

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds